Pular para o conteúdo principal

Conflitos de classe e crise política: questão distributiva e Custo Brasil na crise do lulopetismo (2011-2016)

 Nosso objetivo é compreender o papel da ação política do empresariado industrial, por meio da Confederação Nacional da Indústria (CNI), no fortalecimento de uma solução política autoritária orientada à realização de reformas liberalizantes entre 2011 e 2016. Nesse contexto, a proteção à legislação trabalhista e a política de valorização do salário mínimo constituíram-se como principais obstáculos ao empresário industrial que os apresentava dessa forma antes da crise econômica. Por meio da análise qualitativa da Agenda Legislativa da Indústria, produzida anualmente pela CNI, identificamos os principais itens de sua agenda política. Ademais, por meio da análise comparativa da Agenda Legislativa da Indústria e da agenda do setor financeiro, buscamos compreender pontos de atrito e consensos entre esses dois segmentos econômicos. Evidenciamos que tanto a CNI quanto a Federação Brasileira dos Bancos (Febraban) encamparam a defesa pública das chamadas Reformas do Estado (Previdência, Trabalhista, Administrativa, Tributária), alinhando-se ao liberalismo econômico. Dessa forma, resta demonstrado que o setor patronal identificou a redução do Custo Brasil com a exigência de redução do gasto público por meio de nova Reforma da Previdência e da redução do custo unitário do trabalho a ser viabilizado em uma Reforma Trabalhista de caráter liberal. Ao mesmo tempo, como existem limites para o afastamento dos partidos políticos de sua ideologia de fundação (PANEBIANCO, 2005), explicamos a crise da democracia brasileira a partir dos conflitos distributivos que assumiram lugar central no debate eleitoral em 2014, cujo resultado, ou seja, a derrota do projeto neoliberal inviabilizou a execução de reformas liberalizantes com a intensidade esperada pelo setor patronal.

Palavras-chave: Conflito distributivo; crise política; Partido dos Trabalhadores; liberalismo.


Texto completo aqui

LEMOS, Amarildo Mendes. Conflitos de classe e crise política: questão distributiva e Custo Brasil na  crise do lulopetismo (2011-2016). 45o Encontro Anual da ANPOCS. SPG05. Comportamento político empresarial e a crise da democracia.

Comentários